Coprofagia

O nome científico que se dá para o ato de comer as fezes (as próprias ou de outros animais) é COPROFAGIA.

Embora o acto de comer as próprias fezes, ou de outros animais, nos pareça totalmente nojento, para os cães esta não é uma atitude "escandalosa". Claro que isso não quer dizer que todos os cachorros estão pensando em servir canapés de "patê du cocô" para os convidados caninos, mas com certeza a cadelinha do prédio ao lado não vai deixar de namorar o seu garanhão só porque  o viu a fazer  uma "boquinha" pouco ortodoxa.

Agora a sério. O acto de comer fezes deve ser tratado, mas não fique a pensar  que o seu cachorro é nojento ou anormal por causa disso. Um exemplo de situação natural onde o cão, ou melhor, a cadela come fezes é quando ela está com os cachorros recém nascidos.  Uma boa cadela nunca vai deixar que os seus cachorros  fiquem num lugar sujo de fezes e urina.   Como conseqüência  vai lamber os filhotes após cada mamada, não só para os estimular  a fazer o urinar e defecar (cachorros muito novinhos precisam de estímulos, na forma de massagens, para poder fazer as suas necessidades), como também para limpar  o "ninho" o mais  possível, evitando que o local fique contaminado. Assim que os filhotes estiverem mais crescidos a cadela vai   ensiná-los a defecar longe da área aonde  dormem e são alimentados. Passará a se levantar do ninho algum minutos antes deles estarem totalmente saciados.  A procura das "maminhas" gostosas da mãe, faz com que os cachorros a acompanhem para fora do ninho e acabarão por  fazer as necessidades (o que normalmente ocorre logo após o fim da mamada)  do lado de fora, e não na caminha. Aqui não se quer mais que a mãe, nem os filhotes procurem fezes para comer.  Se isto ocorrer é preciso, antes de mais nada, levar os cachorros,  ou o cachorro adulto ao veterinário para afastar qualquer possibilidade de problema nutricional.

A coprofagia em cachorros mais velhos e em  adultos pode estar relacionada com problemas que interferem na absorção normal dos alimentos. Peça ao seu veterinário para  averiguar todas as possibilidades, como verminose, pancreatite, deficiência de enzimas digestivas, ou outros problemas no aparelho digestivo.

Um outro factor é a   alimentação.  Uma dieta inadequada, pobre em fibras e/ou proteínas pode fazer com que o seu cão vá buscar estas substâncias nas fezes de um outro animal. Estudos  apontam que cachorros alimentados uma única vez ao dia tendem a comer as próprias fezes mais dos que os cães alimentados duas ou mais vezes por dia.  A explicação  de tal relação está no facto de que alguns cachorros possuem uma dificuldade maior na absorção dos nutrientes se  forem fornecidos em uma única   porção de alimento. Os nutrientes, nestes casos, acabam por passa directamente   para as fezes do animal que, mais tarde, sentindo-se mal nutrido, acaba voltando ás próprias fezes para se alimentar. É o que parece ocorrer também quando mais de um cachorro é alimentado ao mesmo tempo, muitas vezes no mesmo prato, e um outro  é muito mais dominante do que o ele.  O cachorro mais dominante pode até mesmo "impedir" que o cachorro mais submisso se alimente com um simples olhar.  O cachorro mais submisso só se irá  aproximar do prato quando o cão mais dominante permitir e estiver totalmente saciado.  Desta situação duas coisas podem acontecer:

  • O cachorro mais dominante come muito mais do que aguenta  para não deixar que o mais submisso se alimente devidamente (competitividade)   e acaba tendo o mesmo problema  descrito, ou seja, não consegue absorver todos os nutrientes da ração, ou;
  • O cachorro mais submisso passa fome e tem que recorrer ás fezes do cão mais dominante para se alimentar.

Existe ainda a possibilidade de que o seu cão esteja "recolhendo" as fezes para não ser punido por ter feito as necessidades  no lugar errado. É bastante comum que cachorros que foram punidos com frequencia, e ainda muito cedo, apresentem este tipo de comportamento.  O grau necessário de severidade da punição para causar tal reação vai depender da sensibilidade individual de cada cachorro.  Ou seja, nem sempre é preciso que o cachorro seja "espancado" a cada acidente para que ele passe a comer as próprias fezes.

Maus hábitos de higiene também têm a sua contribuição. Filhotes que ficam presos em locais sujos podem desenvolver a habilidade de limpar a área por conta própria. Falta de atenção dos donos, tédio, solidão, medo e stress  emocional também podem deflagrar este comportamento impróprio.

Se o seu cachorro já   come fezes, ou para prevenir que este problema venha a acontecer, ficam aqui   algumas sugestões:

  • Alimente o cachorro, ou cão adulto pelo menos duas vezes por dia (cachorros  até 6 meses vão precisar de ser alimentados pelo menos 3 vezes por dia) e com uma ração de boa qualidade. Se  possui mais que   um cachorro em  casa, alimente-os em pratos separados e certifique-se que todos estão tendo oportunidade de comer devidamente.
  • Procure manter o jornal do seu cachorro   sempre bem limpo e, de preferência, não deixe o cachorro o ver a  limpar as fezes. Não queremos que o cachorro muito inteligente resolva imitar o seu comportamento.
  • Não repreenda  o  cachorro se este  já tiver feito as necessidades  no lugar errado. Simplesmente limpe   e espere uma oportunidade para o apanhar  no acto. Se  começar a ver movimentos circulares em cima do tapete persa pegue no cachorro ao colo e leve-o imediatamente para o local permitido. Se ele já estiver no meio do xixi, ou do cocô, não espere que acabe. Interrompa-o com um sonoro "AÍ NÃO", pegue o ao   colo e leve-o imediatamente para o jornal. Chegando ao jornal NÃO ralhe  com o cachorro, pelo contrário,  faça a maior festa do mundo e se uma gotinha de xixi ou cocô cair no jornal faça com que o cachorro se sinta  o mais amado dos bichos.
  • Observe-o sempre  ao ir ao WC e crie uma rotina para distraí-lo assim que ele fizer as necessidades. Depois de acabar, chame-o para um lugar  bem longe da área com o jornal e dê-lhe  um biscoito. Enquanto ele fica distraído a comer o biscoito limpe o jornal rapidamente, sem deixar que o cachorro o veja.
  • Leve o seu cachorro a  um check-up e se   for preciso faça um exame de fezes, conforme orientação do seu veterinário.  Mantenha o seu cachorro desparasitado.
  • Se o seu veterinário prescrever um desparasitante  lembre-se que é muito importante seguir á risca as orientações dadas por ele. Administre o remédio na dose correcta e nos dias exactos para não perder o ciclo dos parasitas.
  • Pode também perguntar ao seu veterinário se  recomenda algum tipo de "aditivo" para colocar na comida do seu cachorro e tornar as fezes desagradáveis.  Existem produtos  para este fim e também algumas alternativas "caseiras" mas NUNCA faça nada sem consultar o seu veterinário primeiro.
  • Reserve uma parte do dia para dar atenção e exercitar especialmente o cachorro.